Edifício Semi-Rural 2024-2

“Você emprega pedra, madeira e concreto, e com esses materiais você constrói casas e palácios. Isso é construção. O engenho está em ação. Mas de repente, você toca meu coração, você me faz bem. Eu estou feliz e digo: ‘Isso é belo.’ Isso é arquitetura. A arte entra em cena. Minha casa é prática. Agradeço-lhe, como poderia agradecer aos engenheiros ferroviários ou ao serviço de Telefonia. Você não tocou meu coração. Mas suponha que as paredes se elevem em direção ao céu de tal maneira que eu me emocione. Eu percebo suas intenções. Seu humor foi gentil, brutal, encantador ou nobre. As pedras que você ergueu me dizem isso. Você me fixa ao lugar e meus olhos o contemplam. Eles veem algo que expressa um pensamento. Um pensamento que se revela sem madeira ou som, mas unicamente por meio de formas que estão em certa relação umas com as outras. Essas formas são tais que se revelam claramente à luz. As relações entre elas não têm necessariamente qualquer referência ao que é prático ou descritivo. Elas são uma criação matemática de nossa mente. São a linguagem da Arquitetura. Pelo uso de matérias-primas e partindo de condições mais ou menos utilitárias, você estabeleceu certas relações que despertaram minhas emoções. Isso é Arquitetura.”

100 anos do livro de Le Corbusier
Vers une architecture
1923

Dados da Disciplina

2024/260
1000048 – PROJETOS
DIG  PRJ078 – PROJETO DE ARQUITETURA E
PRC2 Edifício Semi-Rural
Professor da Disciplina

VISÃO GERAL E PROPOSTA

A agricultura urbana tem muitas vantagens sobre o AGRO neoliberal. Pensando nisso, a então estudante Marina Palmito, em 2018,  propôs um projeto  de uma Agrovila que consolidava a junção territorial e a continuidade ambiental do bairro onde ela era moradora – o Villa Flora – em Sumaré, região metropolitana de Campinas, São Paulo.

O estudo das bacias hidrográficas da região possibilitou decidir sobre diversos aspectos importantes, desde o desenho das vias, definição de sistemas de  drenagem até a proposição de uma represa . Esse estudo, gerou um belo espelho d’água, para o qual é proposto, nesta disciplina, um Edifício semi-Rural com funções de apoio à agrovila. São características do projeto da vila: 

77 HECTARES ÁREA TOTAL; 
140 MÉDIA DE PESSOAS POR HECTARE; 
9500 PESSOAS NOS 3 GRANDES EDIFÍCIOS; 
1 MONOTRILHO PARA POPULAÇÃO; 
VIAS TERRESTRES PARA LOGÍSTICA.
Não poderia faltar no conjunto de conceitos a sustentabilidade do projeto, significando que colabora para a diminuição de iniquidades sociais, propõe uma organização comercial sustentável e cuida em preservar a natureza para as gerações vindouras com práticas agrícolas menos ofensivas e uma composição social menos predatória.

Propõe-se a implementação do projeto geral com a inclusão de um edifício para abrigar um centro de pesquisas e difusão da permacultura e agricultura urbana. A forma arquitetônica do edifício, compreendendo seu valor simbólico, funcional e construtivo deve ser interpretada pelo estudante de acordo com as informações aqui fornecidas. Deverá apresentar graficamente todos os elementos de desenho técnico, esquemáticos e em detalhes, para a perfeita compreensão de sua ideia.

Villa Flora é um bairro de Sumaré, Campinas, São Paulo, que foi planejado e a ele foi anexado por Marina – para fins de exercício – uma área desocupada na lateral. Para entender a relação com o contexto  urbano, um primeiro estudo consolidou o conhecimento das características da morfologia urbana existente utilizando a sintaxe espacial e as diversas centralidades das edificações.

Vídeo

Objetivos e Programa Sugerido

Após a disciplina, os estudantes deverão ser capazes de projetar um Edifício Semi-Rural de acordo com as características especificadas neste trabalho, apresentando-o em pdf A3 com todos os elementos gráficos para a perfeita compreensão do projeto. Poderá ser plotado ou desenhado a mão, com lápis, obedecendo as normas de desenho técnico, no formato 50×70 cm em papel adequado. Pelo menos uma perspectiva deve ser apresentada. A escala deverá ser discutida com o orientador, no sentido de possibilitar as visões gerais de espaços e equipamentos para as duas etapas do trabalho. Os estudos complementares (topografia, drenagem, estruturas, laboratórios, logística, etc.) devem ser anexados, passados a limpo. Os trabalhos serão executados individualmente.

Os programas arquitetônicos podem tornar-se prejudiciais para o projeto de arquitetura se se constituem em uma mera lista de ítens. O estudante deverá analisar o material fornecido para elaborar um conceito para o projeto, justificando a composição de um programa.

Programa sugerido

  • Recepção e espaço para identificação
  • Auditório para 120 pessoas (com sala de projeção, palco e antecâmara de entrada)
  • Espaço para exibições museológicas permanentes
  • Espaço para exibições temporárias
  • Garagem subterrânea para automóveis comuns
  • Garagem para logística (caminhões e carros grandes)
  • Espaços de armazenamento para logística / exibições / marcenarias
  • Espaço para laboratórios, compreendendo aproximadamente a 25 metros cada, num total de 2500 metros quadrados (em até 10 andares) guarnecidos de instalações para capelinhas / gases / remoção de lixo 
  • Espaço para descarte temporário de lixo / aproveitamento de resíduos
  • Espaço para administração com 5 salas de 25 metros quadrados
  • Espaços infra estruturais compreendendo dois elevadores / shafts de cabeamentos e demais serviços especializados (escadas protetoras contra incêndio, sistemas elétricos, hidráulicos, gás, sistemas de proteção contra descargas atmosféricas, subestação elétrica e demais). Os espaços para caixas d´água inferiores e superiores devem ser indicados no projeto.
  • Espaço para banheiros e chuveiros de emergência em todos andares.
  • Outros espaços que a interpretação conceitual da edificação demandar, cujo o nível de detalhamento deverá ser discutido com o orientador.
  • Observações: na medida do possível devem ser adotado o design universal e de acessibilidade para deficientes físicos, buscando-se atender o programa sugerido com a menor taxa de ocupação possível do terreno (menor área sobre o terreno). Sugere-se não ultrapassar 50 metros de altura. 
  • Medidas complementares do terreno e de outros espaços podem ser obtidas através das maquetes eletrônicas fornecidas, que são georreferenciadas e apresentam dimensões em escala definida.
  • Medidas projetuais para soluções de conforto ambiental (lumínico, acústico, térmico, etc) devem evitar ao máximo o consumo energético. 
  • Áreas externas devem ser tratadas paisagisticamente conforme o contexto da agrovila. A acessibilidade urbana deve ser considerada relativamente ao uso peatonal predominante e através do monorail. Estacionamentos externos devem ser evitados.  

 

A Permacultura foi desenvolvida na década de 70 por Bill Mollison e David Holmgren na Tasmânia, como uma resposta ao sistema industrial e agrícola da época. Bill e David organizaram a agricultura ancestral, as habilidades, a sabedoria tradicional e a moderna e criaram a palavra Permacultura. A Permacultura tem como base a ecologia e é um instrumento utilizado para a criação de sistemas humanos sustentáveis, valorizando e unindo os seguintes pontos:

      • Agricultura ancestral;
      • Conhecimento tradicional;
      • Construções eficientes;
      • Equilíbrio (mental, físico e espiritual);
      • Diversidade;
      • Recursos naturais e sustentabilidade

 

Reunindo os Princípios da Permacultura aos conhecimentos Científicos e Tecnológicos e também aos Conhecimentos Ancestrais, torna-se possível desenvolver técnicas de utilização consciente dos recursos naturais, como o solo e a água.

Modelo em SketchUp versões 2019, 2013 e 08. O estudante pode utilzar as suítes de computadores da EAUFMG para utilizar as versões trial do software e importá-las para outras extensões (dxf, dwg, twm, etc).

O terreno está pré-modelado, com altimetria e georreferência. Abaixo o estudante pode baixar os arquivos e escolher o melhor para iniciar seus estudos.

O aluno é quem procura o professor.

A orientação não é agendada nem obrigatória. Os alunos podem ouvir as orientações dadas aos colegas.

Duas avaliações: intermediária (I, R, S) e final (1º, 2º e 3º lugar e menções honrosas)

O professor é uma pessoa. O aluno também. Trata-se de uma relação de pessoa para pessoa.

O aluno pode não querer fazer ou apresentar resultados marcados pelo professor. Deve discutir como fazer.

O professor deve ancorar seus conhecimentos nas oportunidades e nos “vagos” dos estudantes, dialogando com eles e exemplificando com pesquisas na internet.

O Briefing deve ser recomendado. O projeto é prospectivo e as tentativas de cópias são válidas.

A apresentação é mínima. Duas pranchas pdf A3 são o mínimo a serem apresentadas ao final, incluindo perspectivas.

Software e Hardware sugeridos

Desenho a mão com lápis.

Autodesk Infraworks (educacional)

Autocad Autocad Engenheiro (educacional)

CityEngine ESRI  (educacional )

TwinMotion (educacional)

Archicad (educacional)

Revit Autodesk (educacional)

Modelo Eletrônico trabalhável para o twinmotion.  Instale o Twinmotion, descompacte esse arquivo e veja o interior da pasta “pflex 2023 2 vila agricola”. 

Exemplos de Desenhos de projeto no estágio inicial de algumas obras de Leonardo Da Vinci, Quattrocento.
Leia mais em CRIATIVIDADE.

Veja Também a aula sobre Diagramação.

Programa GRIN (Para Cálculo de Fluxos)

Prospecções

Utilize um headset para visualização imersiva: